segunda-feira, 22 de maio de 2017

Minhas impressões - A chave de Rebecca – Ken Follett



Segunda Guerra Mundial. Achmed atravessou o deserto do Saara carregando uma bagagem muito importante, e encontrou-se com seu primo Ishmael. Os dois conversam um pouco sobre a guerra, e Achmed segue seu caminho, sob a identidade de Alexander Wolff. Ele fica apreensivo ao ser abordado por militares, sobretudo por ainda estar em um processo de “adaptação interna”, deixando de ser Achmed, homem do deserto, e tornando-se Alex Wolff, empresário europeu. Um dos militares que o abordam o acompanha, e sem saída, Wolff o mata para preservar suas verdadeiras intenções. Mas essa ação acaba colocando o major William Vandam em seu encalço.


Alex Wolff está a serviço de Erwin Rommel, para conseguir informações privilegiadas no Cairo. Sentindo-se acuado e sabendo que está sendo procurado pela morte do militar, ele busca apoio em Sonja, sua antiga amante. Por sua vez, Vandam contrata Elene Fontana para ficar atenta às movimentações e fofocas, para tentar localizar Wolff, e ao mesmo tempo tentar impedir que os espiões obtenham informações. Com auxílio de Sonja, Wolff consegue uma informação de grande importância, que leva a uma vitória da alemã contra os ingleses. Vandam acredita que essa vitória esteja ligada a Wolff, mas não tem como provar.
Depois de um embate com Wolff, e de saber que ele estava com Sonja, Vandam pede que um detetive árabe monte vigilância à casa-barco onde ela mora, para tentar capturar Wolff. O que ele não sabe, é que o detetive que contatou é rebelde, e está mais interessado em libertar o Egito dos ingleses do que em ajuda-los. Ele procura Sonja para convence-la de que pode ajudar Wolff, se eles o ajudarem em troca.
A perseguição de Vandam a Wolff pode colocar pessoas em perigo, mas pode valer a pena. Até que ponto vale a pena se arriscar pela guerra?




Nome: A chave de Rebecca
Autor: Ken Follett
Editora: Arqueiro
Sinopse:
Norte da África, Segunda Guerra Mundial. As tropas britânicas na região estão sofrendo perdas significativas. Não há dúvidas de que alguém está informando o inimigo sobre os movimentos e planos estratégicos do exército britânico.
O espião é conhecido por seus compatriotas alemães como Esfinge, mas para todos os outros é o empresário europeu Alex Wolff. Após cruzar o deserto, ele chega ao Cairo, no Egito, munido de um rádio, uma lâmina letal e um exemplar do livro Rebecca, de Daphne du Maurier. Violento e implacável, ele está disposto a tudo para cumprir a missão que recebeu.
Para isso, conta com a ajuda de uma dançarina do ventre tão inescrupulosa quanto ele.
O único homem capaz de detê-lo é William Vandam, oficial da inteligência britânica que precisa desvendar o enigma do Esfinge para interromper o avanço dos nazistas.
Ao mesmo tempo que os alemães chegam cada vez mais perto da vitória final, Vandam também se aproxima de seu adversário, da chave que revela o código escondido no livro – e do combate mortal do qual apenas um deles sairá vencedor.
Sinopse: http://www.editoraarqueiro.com.br/livros/achavederebecca/
Imagem: Arquivo particular

8 comentários:

  1. Ainda não li esse livro do Ken Follett, mas adoro a forma que ele escreve. Esse livro me pareceu muito bom, não vejo a hora de ler esse, ainda mais porque trata sobre a segunda guerra, um tema que me interessa muito hoje em dia.

    ResponderExcluir
  2. Adoro essa tematica que envolve 2º Guerra Mundial. E todo mundo fala muito bem dos livros de Ken Follett, espero ter oportunidade de ler.

    ResponderExcluir
  3. O único livro que li de Ken Follett foi Queda dos Gigantes e eu amei. E Chave de Rebecca já esta na minha lista de desejados.

    ResponderExcluir
  4. Janice!
    Além de gostar muito do autor, gosto de enredos que se passam no período da segunda guerra. E se vem com um enredo onde há espionagem e muita ação, não tem como não querer ler.
    Já ansioso por poder fazer a leitura desse livro.
    “A sabedoria consiste em compreender que o tempo dedicado ao trabalho nunca é perdido.” (Ralph Waldo Emerson)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JUNHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Amo os livros de Ken Follett, pois sempre nos apresenta algo em torno da Segunda Guerra Mundial e pouco conhecemos sobre alguns aspectos. Falar da guerra no Egito, Deserto, Norte da África, alemães avançando por esses lados, fica um pouco vago, pois sempre focam a guerra na Europa. Já li outros livros de Ken sobre esse assunto. Conhecia o livro pela capa antiga; gostei mais dessa nova, mas infelizmente ainda não li o livro. Pretendo ler em breve.

    ResponderExcluir
  6. Apesar de nunca ter lido nenhuma obra desse autor, pela sua resenha e possível notar que a trama possui muita ação, e vamos durante a leitura acompanhando o desfecho dessa trama, que se passa na segunda guerra. Outro ponto e a respeito das espionagem, e como o personagem vai sair dessa situação, espero me surpreender com esse livro.

    ResponderExcluir
  7. O livro parece conter uma história que consegue prender o leitor fazendo que ele fique atento aos mínimos detalhes!! Gosto de livros com temáticas históricas e este parece ser muito bem escrito!!

    ResponderExcluir
  8. Ufa.. fiquei sem ar. Que perseguição! Deve ser uma leitura muito rápida com toda a adrenalina da perseguição, as traições, gostei muito. Já ouvi falar de K. Follett mas nunca li nada, agora quero pra ontem.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...